Menu
Duas girafas brancas e raríssimas foram filmadas em reserva no Quênia

Fonte: www.megacurioso.com.br

As girafas são um dos animais mais incríveis do planeta e, no começo, as pessoas acreditam que elas eram uma mistura de camelo e leopardo – tanto que seu nome científico original é G. camelopardalis!

E se você pensa que todas as girafas são iguais, você está enganado: em 2016, um estudo mostrou existir quatro tipos diferentes desses animais pescoçudos, cada um deles com uma característica de pelagem diferente. A girafa-da-somália possui manchas na cor de fígado, são reticuladas e possuem linhas brancas bem definidas. A girafa-masai possui manchas mais irregulares, em formato de videira e com a coloração semelhante à do chocolate. Já a girafa-núbia (a G. camelpardalis “original”) tem manchas grandes em todo o corpo, menos nas patas, em formato quadrangular e na cor de avelã.

Agora, o que chamou a atenção nos últimos dias foram dois exemplares de girafa completamente brancos! Animais nessa cor são extremamente raros, principalmente vivendo livre na natureza. As primeiras girafas brancas foram vistas na Tanzânia no ano passado, mas pela primeira vez os cientistas conseguiram filmar duas delas! Confira:

Rios Voadores

Rios Voadores clip Antonio Nobre – Pesquisa FAPESP

Publicado em 22 de abr de 2016

Antonio Donato Nobre explica como e porque os Rios Voadores são ligados à florestas nativas, e qual as consequências benéficas para o ciclo hidrológico da América do Sul desse funcionamento magnifico da Natureza.

4K African Wildlife | African Nature Showreel 2017 by Robert Hofmeyr


Fonte: Youtube

Publicado em 22 de fev de 2017

Enjoy this magnificent 4K African Natural Showreel by Robert Hofmeyr. Fabulous African scenery and majestic wildlife. The video was shot in South Africa, Namibia and Botswana. This part of the world is a prime wildlife destination, most of all the wonderful safari animals are easily found here. Enjoy the closeness of the wild animals, take in their power and beauty!

This beautiful video was shot by Robert Hofmeyr – bobhof@gmail.com
If you want to license or download this video, please contact Robert Hofmeyr

 

Documentário – Ilha do Príncipe – O éden esquecido do Atlântico HD

mundo-28-maio-2015-020

www.ilhadoprincipe.com

Há uma ilha que é lar de algumas das espécies mais únicas e ameaçadas do planeta. O tempo alterou o curso de evolução da maioria das espécies que habitam este pedaço de terra esquecido. Esconde os seus tesouros e segredos, abrigados numa geografia impossível e uma floresta impenetrável. No meio do Atlântico, nesta ilha esquecida, podemos encontrar um jardim intocado desenhado pelas forças da evolução.

Este é o primeiro documentário de natureza e vida selvagem da história filmado na Ilha do Príncipe e que irá mostrar o lado mais intocado e selvagem da ilha.

There is an island that is home to some of the planet most unique and threatened species. Time has slowly changed the evolutionary course of most of the beings that inhabit this forgotten patch of land. It hides its treasures and secrets, sheltered in a impossible geography and impenetrable forests. In the middle of the Atlantic in this forgotten island we can find an untouched garden designed by the forces of evolution.This is the Island of Principe;

This is the first wildlife documentary ever shot on the island.

ILHA DO PRÍNCIPE o éden esquecido do Atlântico
THE ISLAND OF PRINCIPE the forgotten eden of the Atlantic

Documentário sobre a incrível Natureza da Ilha do Príncipe.
Localizada no Golfo da Guiné, Africa.

Documentary about the incredible nature of the Island of Principe.
Located in the Gulf of Guinea, Africa.

Produzido por
Produced by
aidnature.org

www.aidnature.org

Já pensou em mergulhar entre duas placas tectônicas?

Fonte: http://ecoviagem.uol.com.br

Experiência única no mundo, o lago Þingvallavatn permite aos mergulhadores nadarem entre duas placas tectônicas. Localizadas na fenda de Silfra, elas estão situadas apenas a 25 metros de profundidade

mundo-25-maio-2015-001

Entre tantos lugares incríveis para se visitar no mundo, um deles se destaca. Localizada no lago Þingvallavatn, na Islândia, Silfra é uma fenda marítima que possibilita ver ‘in loco’ o distanciamento entre duas das principais placas tectônicas que formam a crosta terrestre. Considerada única região do mundo onde é possível ver este feito, a fenda aumenta cerca de 2,5 cm por ano e está situada dentro do Parque Thingvellir.

A distância entre as duas placas é tão grande que pode-se mergulhar e nadar entre elas. Ao contrário do imaginário popular, as placas tectônicas não ficam necessariamente a centenas de metros abaixo do solo. Em Þingvallavatn é possível encontrá-las a 25 metros de profundidade, porém há regiões em que elas estão até 60 metros abaixo d’água.

A enorme fissura que existe atualmente começou como uma pequena e estreita caverna e com o passar dos anos se transformou numa gigantesca fenda submarina. O local é pouco visitado, pois a temperatura média da água é de 4ºC e só permite mergulhos com trajes próprios para baixas temperaturas. Contudo, quem conhecer a região terá uma experiência única ao nadar entre ambas as placas.

Durante o mergulho também é possível visitar a “Arnarnes Strytur” que é uma chaminé hidrotermal. O local libera água a 80ºC que entra em reação com o líquido ambiente que está numa temperatura de 4ºC e cria uma ‘nuvem’ turva na região, contrastando com a pureza da água dentro do lago. Entre tantas belezas submersas, a chaminé é a segunda região mais visitada dentro do Þingvallavatn, perdendo apenas para a fenda de Silfra.


Parque Nacional Thingvellir

Considerado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO desde 2004, a região possui um terreno muito acidentado devido a constante ação geológica que existe no local. Com vulcões, gêiseres e cascatas, o Parque ganhou fama mundial por ser um dos melhores lugares do mundo para se estudar a ação das placas tectônicas.

Além da importância ambiental, o Parque Nacional Thingvellir também é famoso na Islândia por sua relevância histórica. Em 930, um grupo de homens se reuniu no local para fundar o Alþingi que é o nome dado até os dias atuais ao Parlamento da Islândia. Em 1944, também no mesmo lugar foi proclamada a independência do país.


Como chegar

Com voos saindo de São Paulo rumo a Reykjavik, as passagens aéreas custam a partir de R$ 3830. O percurso é operado por companhias internacionais e possui duas escalas.

O caminho entre Reykjavik, capital da Islândia, até o Parque Nacional Thingvellir deve ser realizado pela Rota 1 que é a única rodovia existente no país. Ela circunda a nação insular e leva os turistas até o Parque, entre outros destinos turísticos islandeses. Outra opção é comprar um pacote turístico que já inclua guias e o traslado para conhecer Thingvellir.

 

Praias Incomuns

1 – Praia de Vidro, Califórnia
mundo-16-maio-2015-001
mundo-16-maio-2015-002

A praia da areia de vidro se formou depois que o lixo despejado por anos, foi batido e misturado na areia pelas ondas, transformando-o numa espécie de areia de vidro!

2 – “Hidden beach” (praia escondida), Ilhas Marietas, México
mundo-16-maio-2015-004
mundo-16-maio-2015-003

Os rumores dizem que esta praia foi formada após o governo mexicano utilizar as ilhas, então desabitadas, para práticas bélicas, em 1900.

3 – Praia nas Maldivas que mais parece um céu estrelado
mundo-16-maio-2015-005
mundo-16-maio-2015-006

Coberta por milhões de fitoplânctons (phytoplanktons) bioluminescentes. Esses organismos microscópicos brilham de forma semelhante aos vaga-lumes e tendem a emitir luz como mecanismo de defesa, criando essa incrível imagem surreal.

4 – A Praia das Catedrais, Ribadeo, Espanha
mundo-16-maio-2015-007

Esses arcos foram formados pelo contato com a água durante milhares de anos.

5 – Praia de Areia Rosa, Bahamas
mundo-16-maio-2015-008
mundo-16-maio-2015-009

A terna areia rosada das Bahamas é pigmentada por restos de corais,
fragmentados pela arrebentação das ondas.

6 – Praia Maho, São Martinho
mundo-16-maio-2015-010
mundo-16-maio-2015-011

A cada avião, uma dose de adrenalina!

7 – Jokulsarlon, Islândia
mundo-16-maio-2015-012
mundo-16-maio-2015-013

Aqui temos um belo contraste da areia negra com pedaços brancos de gelo.


8 – Moeraki Boulders (Ovos de dragões), Koekohe Beach, Nova Zelândia
mundo-16-maio-2015-015
mundo-16-maio-2015-014

Esses “ovos” são, na verdade, bolas de rochas sedimentares,
mais duras do que a terra sedimentar formada em volta.

9 – Praia Papakolea Green Sand, Havaí
mundo-16-maio-2015-017
mundo-16-maio-2015-018

A areia verde nesta praia é causada pelo mineral olivina, que é formado pela lava que esfria no mar.

10 – Calçada dos Gigantes, Irlanda
mundo-16-maio-2015-019
mundo-16-maio-2015-020

A Calçada dos Gigantes foi formada há 50/60 milhões de anos, quando lavas basálticas subiram à superfície e se resfriaram, formando essas rachaduras e as grandes colunas.

11 – Punaluu Black Sand Beach, Havaí
mundo-16-maio-2015-021
mundo-16-maio-2015-022

A areia preta em Punaluu é formada por lava basáltica,
que estoura quando desce para o mar e se esfria rapidamente.

12 – Red Sand Beach, Rábida, Galápagos
mundo-16-maio-2015-023
mundo-16-maio-2015-024

A areia vermelha na Rábida foi formada devido à oxidação dos depósitos de lava ricos em ferro,
embora possa também ser devido a sedimentos de corais.

13 – Pfeiffer Beach, Califórnia
mundo-16-maio-2015-026
mundo-16-maio-2015-027

O roxo da areia nesta praia é formado quando granadas de manganês
das colinas ao redor são corroídas pelo mar.

14 – Vik Beach, Islândia
mundo-16-maio-2015-028

A Islândia é um país com uma grande quantidade de atividade vulcânica,
por isso as praias pretas são tão comuns por lá.

15 – Cave Beach, Algarve, Portugal
mundo-16-maio-2015-029
mundo-16-maio-2015-030

A costa de Algarve é constituída por calcário, que é facilmente desgastado,
o que leva à formação dessas impressionantes cavernas.