Filhote de arara-azul é o primeiro a nascer em cativeiro na América Latina

Divulgação/Zoológico de São Paulo
Fonte: Estadão
Vídeo: SBT

Um filhote de arara-azul-de-lear nasceu no Zoológico de São Paulo. É o primeiro filhote nascido em cativeiro na América Latina. O raro exemplar tem apenas dez dias de vida. Seu sexo só será descoberto daqui a dois meses, por meio de um exame de sangue

Foi apresentada na manhã desta quinta-feira (23), no Zoológico de São Paulo, a primeira arara-azul-de-lear nascida em cativeiro na América Latina. O raro exemplar tem apenas dez dias de vida. Seu sexo só será descoberto daqui a dois meses, por meio de um exame de sangue.

O Zoológico de São Paulo conta com 12 exemplares adultos de arara-azul-de-lear, mas eles não ficam expostos ao público. Todas essas aves foram apreendidas em operações contra tráfico de animais silvestres. A espécie, nativa do sertão baiano, está em risco de extinção – calcula-se que existam apenas 1.300 exemplares no mundo.


Reprodução

Durante o período de acasalamento, o casal se afasta do bando. Em média, a fêmea costuma botar dois ovos – na natureza, em pequenas tocas de pedras; no cativeiro, em ninhos de madeira.

Os pais da ave recém-nascida já vinham namorando havia cerca de três anos, conforme informam biólogos do zoo. O ovo permaneceu na chocadeira por aproximadamente de 13 dias, sendo monitorado constantemente pelos técnicos da instituição.